Amor de útero

Essas são Marina e Aninha, irmãs que não são gêmeas mas se parecem tanto que até elas se confundem. Uma vez uma delas deu tchau para si mesma no espelho achando que era a irmã, pode uma coisa dessas? Ahahahahahahaha.

As imagens que vocês verão agora são da gravidez delas, Luisa e Mariana escolheram vir tão juntas que até a previsão da data do nascimento é a mesma, pasmem! Primas gêmeas, de barrigas separadas, amor de útero.

Quando o cliente confia

Érica foi a cliente dos sonhos de qualquer profissional. Ela fechou o contrato de fotografia com quatro meses de gestação, o que nos permitiu construir tudo com muita tranquilidade, pensando em cada detalhe. Além disso, durante nossas conversas, ela sempre demonstrou compreender e dar relevância ao que eu tinha para contribuir e, se hora ou outra o que eu dizia não convergia com o que ela havia pensado, era fácil perceber que ela queria entender o motivo pelo qual eu estava sugerindo, sem se render ao impulso de apenas impor aquilo que ela já havia pensado. O resultado foram ensaios perfeitos! Tanto o da gestação, que compartilho agora com vocês, quanto o de newborn, que em breve vocês poderão ver por aqui. Sentir que o cliente realmente confia no nosso trabalho é maravilhoso e ver o resultado dessa entrega faz tudo ficar ainda mais gostoso, só tenho a agradecer a essa mamãe linda e torcer para fazer parte da memória fotográfica dessa família daqui pra frente, em tantos outros lindos momentos que a vida tiver para eles.

Produção de moda: Marta Duque

Minha busca

Dediquei meu fim de semana à fotografia newborn. Foram quatro oficinas e várias palestras que enriquecerão muito meu trabalho e já ressignificaram várias coisas no meu modo de pensar esse ofício que eu amo tanto. Fotografar recém-nascido é coisa séria! Antes de mais nada é preciso respeitar os limites daquele serzinho tão frágil que ainda está se adaptando à vida fora do útero. Não podemos tirar da mente que não estamos fotografando para nós, não se trata de uma competição sobre quem faz a pose padrão mais perfeita, essas imagens serão a memória da família e tudo o que eles querem é lembrar de como era seu maior tesouro quando chegou ao mundo. Fazer com que o ensaio seja uma experiência agradável da qual a mãe se lembrará com carinho deve ser item básico na mente dos profissionais. Tudo isso pode parecer óbvio, mas nem sempre é o que ocorre. Esse ensaio é para mim um exemplo de como isso é possível: sem acrobacias, sem sacrificar o bebê, sem mamãe insegura e com resultado encantador. É o que eu sempre busquei e é no que vou mirar, sempre.

Sublime

Setembro chegou e vai trazer nosso pequeno milagre, Helena. Quem acompanha meu blog já conhece esses rostos e sabe que Vivian e Thiago são de casa. Eu sempre quis fazer um ensaio de gestante em cachoeira, mas ainda não havia tido essa oportunidade. Eles compraram minha ideia, confiaram na minha proposta e o resultado foi um ensaio que tem a minha cara! Quando penso em gravidez eu penso em leveza, em natureza, pureza, fluidez… Nada mais bonito do que uma mulher gerando nova vida e é incrível imaginar o quanto isso é sagrado. Toda gravidez é um milagre! Essas cenas feitas em um lugar onde o homem mal tocou, esse olhar materno cheio de serenidade, isso me encanta, me toca. Vivian está plena, em estado de graça, linda como nunca. Quanta honra poder mostrar isso desse jeito tão inteiro! Esse ensaio foi um presente para mim e eu espero que seja também um presente para você. Que essas imagens possam te fazer sentir exatamente aquilo que eu gostaria de transmitir: a doce espera em sua forma mais sublime.

Serenos

Fim de férias, início de mais um ciclo de trabalho, lá vou eu fazer o primeiro post que, como todos os primeiros posts pós-férias, é especial para mim. Essa família é tudo o que eu busco na vida: simplicidade, leveza, serenidade, harmonia… Mirelinha nasceu em um lar onde reina a paz e ela já demonstrou isso no ensaio newborn. Uma neném tranquila, que dormiu o soninho gostoso que toda fotógrafa espera, que deu mil sorrisinhos para me matar de alegria e que nem no fim do ensaio demonstrou cansaço. Filha da Emiliene e do “Benzin”, não tinha como ser diferente. Eles também sentem as dúvidas, os medos e vivem as incertezas que a chegada de um bebê traz, mas não se perdem nelas. Conseguem manter a energia e a vibração na faixa da serenidade e tudo fica bem. Tão bom ver e fazer parte disso! Tão bom entrar em um lar e sentir confiança, de verdade. Sim, é possível vivenciar esse momento com a alma leve, mesmo que tenha que dar complemento, mesmo que a grana esteja curta ou seja lá qual for a dificuldade que surja – porque as dificuldades vão surgir, o segredo é a gente saber lidar com elas. O que não dá é para esperar que esse momento seja apenas um mar de rosas sem nenhuma intercorrência. Que possamos aprender a nadar no mar que se apresentar diante de nós de forma serena, assim como esses queridos que agora apresento a vocês.