Acompanhar

Carregar um novo ser no ventre, o que pode ser mais bonito do que isso? Dar à luz uma pessoa que em seu ser carrega você, se ver nesse novo ser. Ver-se crescer nesse pequeno existir, evoluir, transcender. Amor que surge tão grande e tão forte que transborda sem a gente entender como pode ser assim, tanto. Eu, do lado de cá da lente, fico estarrecida. Acompanhar esses bebês e essas famílias desde a gravidez significa para mim algo que não sei dizer. Que meus olhos sejam capazes de trazer toda a beleza desse momento sagrado à tona, que através da minha arte eu possa eternizar essa revolução na vida dessas famílias de um jeito singular e verdadeiramente poético e que, acima de tudo, eu seja capaz de mostrar a meus clientes o tamanho da minha gratidão. Cibele, Rafael e Luísa, família linda que abriu as portas para que eu pudesse acompanhá-los.

Mini ensaio de páscoa

Os mini ensaios são aquela oportunidade imperdível de ter fotos de qualidade dos nossos filhos por um precinho que não se acha em outras ocasiões. Nosso cenário de páscoa é pura magia e encanto para as crianças se divertirem enquanto a gente registra essa fase para sempre, com muito amor e carinho. Você não pode perder, vem!

Meu exemplo

Essa família é para mim um dos maiores exemplos do que é saber viver. Renata é a mãe que eu tento ser. Tenho lidado com muitas mulheres e as várias formas de experienciar a maternidade e criar os filhos – o que não é tarefa fácil – e percebo o quanto pode ser maravilhoso permitir-se leveza. Como se a gente sentisse que tudo vai dar certo, de um jeito ou de outro. “Nossos filhos não são nossos filhos”, já dizia Khalil Gibran, e necessário se faz deixá-los viver, dar a eles espaço para ser. É maravilhoso quando a gente ensina que a vida é bela e que os percalços fazem parte, são transitórios, nos fazem mais fortes. Alice tem o mundo inteiro a seus pés e poderá ser o que quiser, andar na direção que seu coraçãozinho apontar, sabendo que é livre e não está sozinha, que será respeitada e amparada, e o resultado da maneira como esses pais a conduzem será uma mulher admirável, tanto quanto seu espelho o é. Renata, você já sabe, mas preciso repetir: você não existe! Muito obrigada por tornar tudo tão agradável, pelo seu sorriso lindo e seu abraço sincero. Estarei sempre contando os meses para nosso próximo encontro porque ter vocês por perto me faz um bem que não tem como expressar. Amo, de paixão, cada um de vocês três.

 

Não me rendo

Ultimamente tenho travado uma luta interna: o tempo dos meus ensaios. Normalmente meus colegas de trabalho gastam cerca de duas horas em cada trabalho, já eu, não agendo mais nada em dia de foto. Exagerada, né? Eu sei. Tenho tentado ser mais objetiva. Enquanto dirijo para a locação vou pensando que farei em menos tempo, que não precisa tanta variedade assim, que estou indo contra o mercado e por isso meus valores acabam ficando menos competitivos e tudo o mais, mas na hora em que eu estou diante do cliente, não consigo colocar nada em prática. Vou ficando e fotografando até ter certeza de que esgotei todas as possibilidades que imaginei e que fiz tudo o que o cliente gostaria que fosse feito. Nesse dia saí do ensaio com a sensação de que estou certa, embora na contramão do mercado. Essa bebê lindeza que vocês verão é a Carol e ela estava no meio de uma virose. Aí é aquele negócio: enjoadinha, soninho, corpinho ruim… Começamos o ensaio aos poucos, respeitando o tempo dela, mas a pequena só queria dengo de mamãe.Fomos fazendo as produções e deixando a cereja do bolo por último, o smash the cake que a Renata (mamãe) tanto queria, porque suja tudo e não tem como ser antes. Acontece que a pequena não deu conta. Foi ficando muito cansadinha, chorosa, dormiu! E agora??? Dormiu antes do smash, vai ficar sem as fotos do bolo? Não foi o caso. Esperamos o sono dela e retomamos algum tempo depois. Resultado: trabalho completo, mamãe realizada, fotógrafa sentindo que o caminho é esse e bebê feliz curtindo seu momento doçura. Chronos, você não me ajuda, mas eu não me rendo.

Transbordando amor

Ela já tem quatro aninhos. É sempre maravilhoso fotografar essa família, mas esse ano Alice me emocionou. Está tão crescida e desabrochando lindamente, demonstrando que eu tinha um ser humano incrível diante de minha lente. Sou apaixonada pela Renata, mãe dela, desde o casamento em 2007, e agora percebo que a pequena está saindo como a mãe: carinhosa, sorridente, expansiva, doce… Que delícia ver tudo isso acontecendo e registrar todo ano. Ontem foi a festinha e, como em todos os anos, voltei para casa transbordando de amor. Acho que você vai se contaminar vendo esse vídeo-fotos.