Empatia

Todos os dias agradeço a Deus pela minha profissão. A fotografia me faz sentir a vida de um jeito especial, como se eu tivesse uma consciência maior da beleza da vida. É maravilhoso estar sempre atenta nos detalhes da criação naquilo que de mais bonito há em cada ser. Fotografar jovens me traz um frescor que gosto de sentir, é tão bacana lembrar de como é a vida nesta fase, tão pouco a se preocupar e, ao mesmo tempo, o que hoje sabemos que era pouco nos parecia um infinito. Entender o universo que preciso capturar é fundamental para que eu possa fazer parte do mundo de quem está do outro lado da minha lente. É o que eu busco. Durante todo o tempo em que fotografei Marina me preocupava com isso: compreendê-la. Quando entreguei o trabalho, a primeira coisa que ela me perguntou foi onde estavam as fotos com sua melhor amiga. E lá fui eu novamente para os meus 15 anos, lembrando da minha melhor amiga (que hoje ainda ocupa esse posto e tenho certeza de que o ocupará para sempre). É o que desejo a Marina: que sua vida seja cercada de belezas e que ela tenha olhos para reconhecê-las, que as verdadeiras amizades sejam eternas e que a lealdade permeie seus caminhos.

2332
2333 2334 2335 2336 2338 2339 2340 2341 2342 2343 2344 2345 2346 2347 2348 2349 2350 2351 2352 2353 2354 2355 2356 2357 2358 2359 2360 2361 2362 2363 2364 2365 2366 2367 2368 2369 2370 2371 2372 23732374237523762377237823792380

Comentários

Comentários