De fotógrafa para fotógrafa

Fotografar fotógrafa é um negócio complicado, sabia? Um misto de emoções, coisa maluca demais. Quando Vanessa me disse que gostaria que eu fizesse um ensaio da família dela eu quase enfartei de tanta alegria, meu coração acelerou e eu fiquei feliz por perceber que alguém que admiro tanto desejava ter sua família registrada pelo meu olhar. Depois dessa euforia toda, comecei a ficar com medo de não agradar tanto quanto eu queria. Não dá para desconsiderar o fato de que eu estaria trabalhando para alguém que manja dos paranauê da fotografia, é outro nível de exigência. Chegou o dia, ansiedade. Tudo o que eu queria era conseguir o melhor do que ela havia imaginado para aquele ensaio: fotos deles em casa, sem grandes produções, que fossem capazes de guardar na memória e no coração aquela fase do pequeno Giuseppe e todo amor que sua existência despertava neles. E no final, gratidão. Eu sempre me sinto privilegiada por ser a escolha de cada cliente para quem aponto minhas lentes e com ela não foi diferente. Vanessa, minha amiga querida, já disse e repito aqui, muito obrigada por dividir esse momento comigo, significou muito para mim!

Do jeitinho que eu gosto

Começando os posts do blog atrasada porque o ano começou bombando! Teve vários ensaios nas “férias”, participei de uma exposição fotográfica, concluí mais um curso de fotografia e semana que vem tem congresso e workshop de newborn. É, 2018 já veio com tudo, do jeitinho que eu gosto.

Perceba-se

Toda mulher tem um encanto, uma magia.

Nem toda mulher acessa isso.

A fotografia tem a capacidade de tornar seu poder mais escancarado, fica tangível.

É o que tenho descoberto ultimamente.

Me descobri muito mais bonita do que pensava depois que fiz meu ensaio e tenho percebido isso nas mulheres que fotografo.

Esta é a Vivian, minha amiga. Ela é dona de um olhar fascinante, tem o tom da pele tão maravilhoso que chega a dar dó de usar preto e branco quando a fotografo, é dona de proporções encantadoras em seu corpo, estando dentro do “peso ideal” ou não, e ainda por cima carrega consigo uma força descomunal.

Eu sempre soube disso.

Ela, como eu e provavelmente você, se via mediana, meio que normal.

No dia em que ela teve acesso a essas fotos pôde perceber o que para meu olhar de fotógrafa sempre esteve claro: que maravilha de mulher! Todas nós deveríamos nos ver assim, maravilhosas como somos. Basta se conectar consigo mesma.

Eu, do lado de cá, fico babando no resultado do meu trabalho (sem falsa modéstia) e agradecendo à vida pela oportunidade de acessar o que de melhor há em cada um que se apresenta diante de mim. Quanto privilégio, quanta responsabilidade!

Post de dia das mulheres tinha que ser especial. Eu não poderia deixar de mandar meu recado: não se permita mais estar desconectada da sua beleza, perceba-se!

0933 0934 0935 0936 0937 0938 0939 0940 0941 0942 0943 0944 0945 0946 0947 0948 0949 0950 0951 0952 0953 0954 0955 0956